NOTÍCIAS

Lançado Comitê Sindical Lula Livre em Porto Alegre

Publicado em 15/05/2018

Em reunião ocorrida na manhã desta quinta-feira (10), na sede da CUT-RS, em Porto Alegre, foi lançado o Comitê Sindical Lula Livre, formado por dirigentes de vários sindicatos e federações, com o objetivo de mobilizar a classe trabalhadora para a libertação do ex-presidente Lula. Ele está sendo mantido como preso político desde 7 de abril, na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, após ter sido condenado sem provas e sem crime pelo juiz Sérgio Moro e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), a fim de tentar impedi-lo de ser candidato nas eleições de outubro.

“As eleições somente serão legítimas com a participação do Lula”, afirmou o secretário de Meio Ambiente a CUT-RS e coordenador do Comitê Sindical, Paulo Farias. Lula é o líder de todas as pesquisas de intenção de voto. Para Farias, “a prisão do Lula só será revertida com mobilização popular”.

comite sindical Lula 10052018 b

Os integrantes do Comitê Sindical decidiram realizar uma série de panfletagens para mostrar o que a mídia tradicional esconde . A economia piorou depois do golpe de 2016, que derrubou sem crime de responsabilidade a presidenta Dilma. O desemprego cresceu e atingiu 13,7 milhões de  brasileiros e brasileiras. Aumentou também a informalidade e os contratos intermitentes e parciais, precarizando o trabalho e reduzindo a renda de trabalhadores e trabalhadoras.

Haverá distribuição de panfletos no centro e nos bairros, assim como nos parques da cidade. “Vamos lutar também em defesa do patrimônio público, que está sendo entregue vergonhosamente pelo governo ilegítimo e golpista de Michel Temer”, destacou o vice-presidente da CUT-RS, Marizar Melo.

comite sindical Lula 10052018 c

A ampliação do movimento foi defendida pelo Comitê Sindical. “Temos como tarefa fazer mutirões na cidade e dialogar com a população para demonstrar que Lula é inocente, que ele é um preso político e que eleições sem Lula é fraude”, salientou o secretário-geral adjunto da CUT-RS, Amarildo Cenci.

“Temos que estar engajados, pois sofremos muitos ataques. O golpe foi contra os nossos direitos”, ressaltou a diretora do CPERS Sindicato, Rosane Zan.

Ao final, foi definida uma grande panfletagem na próxima quarta-feira (16) em vários pontos da capital gaúcha. Depois, todos posaram para uma foto em frente à sede da CUT-RS.

 

 

 

Fonte: CUT-RS